Maricá/RJ,

Equipe faz Reunião de Avaliação do Projeto Juventude Afetiva




No último dia 04/11, às 9h30min, reuniram-se as escritoras Maria Regina Moura e Patrícia Custódio, com a Profª e Agente de Leitura Andrea Cabral, no Espaço de Atividades de Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes, em São José do Imbassaí – Maricá/RJ., para a Reunião de Avaliação, do Projeto Juventude Afetiva – pós culminância – que ocorreu em 19 de outubro último, na Biblioteca da E.E. Profª Cacilda Silva.

O excelente e produtivo encontro refletiu a bela festa de encerramento do Projeto, como também, o excelente trabalho de 7 meses do Grupo de Interesse daquela Unidade de Ensino, Coordenado pela Profª Andrea Cabral e formado por 36 alunas do Ensino Fundamental.

A Equipe avalia como “positivos”, os resultados do Projeto que, de tão motivadores, já deixam antever novos Projetos no âmbito da Escola, nas áreas de Livro Leitura Literatura Biblioteca.

Avaliada positivamente, também, a parceria com Canteiros de Obras e com o Ponto de Leitura Traças do Bem, que aproximou as escritoras Maria Regina Moura e Patrícia Custódio e suas obras, das alunas integrantes do Projeto.

Acompanhe nas páginas:


Projeto Juventude Afetiva - Maricá/RJ




No último dia 19 de outubro deste ano de 2015, depois de 7 meses de louvável trabalho, chegou ao fim o Projeto JUVENTUDE AFETIVA, realizado na Biblioteca da E. E. Profª Cacilda Silva, em Itapeba, Maricá.

Projeto idealizado e coordenado pela Profª e Agente de Leitura Andrea Ribeiro Cabral foi desenvolvido por um Grupo de Interesse formado por 36 alunas do Ensino Fundamental da mesma Escola, na faixa etária dos 11 aos 17 anos; com parceria e consultoria de Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes, do Ponto de Leitura Traças do Bem e da Canteiros Editora, representados por suas dirigentes, as escritoras Maria Regina Moura e Patrícia Custódio.


Excelente proposta, calcada numa ideia inovadora de autoria da Profª Andrea Cabral, o Projeto desenvolveu inúmeras atividades tendo como fio de ligação o AFETO e buscando promover novas e revolucionárias atitudes no seio da Unidade de Ensino envolvendo toda a Comunidade intra e extramuros – esta, representada pelos familiares dos estudantes vinculados à Escola, pelo Ponto de Leitura Traças do Bem e Pela Instituição Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes.

Por se tratar de proposta nascida na Biblioteca da Escola e coordenada por uma Professora e também Agente de Leitura, as atividades e dinâmicas – todas desenvolvidas no espaço físico da Escola – privilegiaram as Ações de Livro Leitura Literatura Biblioteca.

Dentre muitas atividades, as estudantes estudaram as obras e as biografias das duas escritoras Maria Regina Moura e Patrícia Custódio e apresentaram resultados de seus estudos e suas pesquisas durante o encontro do dia 19/10.

Além das Produtoras Culturais e Escritoras citadas acima, o Projeto contou também, com a importante participação profissional da Psicóloga Profª Glória Maria Tavares Guimarães

A ideia surgiu, então, para mostrar a importância da afetividade no convívio escolar e como ela se faz indispensável no processo ensino/aprendizagem e em nosso mundo atual. Na visão dos Agentes de Leitura “o aluno que se aceita, que se valoriza e que mantém um bom relacionamento com os colegas, tem coragem de tentar e de experimentar o novo e isso proporciona a descoberta de conhecimentos intelectuais. Então, é preciso dar-lhe condições para que o emocional floresça, se expanda e se amplie o seu jeito de ser e agir”.

A culminância contou, ainda, com uma Palestra com a Psicóloga Glória Maria T. Guimarães e uma Palestra com as duas escritoras participantes Maria Regina e Patrícia.

As alunas integrantes do Grupo de Interesse participaram das atividades e das dinâmicas com grande interesse e demonstraram isso nas colocações, nas perguntas, nas trocas ocorridas durante a Palestra.

A Profª Andrea cumprimentou suas alunas pelos resultados obtidos e pelo sucesso alcançado pelo Projeto. Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes também as parabenizou e, para homenageá-las, inserimos abaixo seus nomes. Todas receberam Certificados pela participação no Projeto. Certificado este, emitido pela instituição, pelo Ponto de Leitura Traças do Bem e pela Canteiros Editora.

Listagem das alunas 

1 Vitória Torres da Silva - Turma 601
2 Amanda Sousa dos Santos - Turma 601 
3 Ester da Silva Fernandes - Turma 601 
4 Miriã da Conceicão - Turma 601 
5 Emily de Oliveira Monteiro - Turma 601 
6 Alezia OliveiraFreitas - Turma 601 
7 Rayssa Soares Alvarenga - Turma 601 
8 Sara Azevedo dos Santos - Turma 601 
9 Natália Cristina Silva David - Turma 601 
10 Jhulia Barbosa P.da Silva - Turma 602
11 Talita Pereira da Silva - Turma 602 
12 Camila Bernardo da Silva - Turma 602 
13 Ana Beatriz da Silva de Oliveira - Turma 602 
14 Eribel Lucia de Oliveira Pereira - Turma 602 
15 Marcella Rochedo Rodrigues - Turma 602 
16 Leticia Pereira da Silva - Turma 602 
17 Daniele Vitória da Silva Pinheiro Bastos - Turma 602 
18 Júlia Amorim da Silva - Turma 701 
19 Ana Beatriz Pereira da Silva - Turma 701 
20 Cássia Pereira Labres - Turma 701 
21 Lorenna Perrout de Sousa - Turma 701 
22 Maria Eduarda Chagas de Albuquerque - Turma 701 
23 Gabrielle do Nascimento Martins Pereira - Turma 701 
24 Ana Luiza Chaves Ribeiro - Turma 702 
25 Rosana Amparo dos Santos - Turma 702 
26 Rawanny Rodrigues Figueiredo - Turma 702 
27 Larissa Ribeiro de Oliveira - Turma 702 
28 Bruna Feliciano Carmelo - Turma 702 
29 Rafaela Gomes Salermo - Turma 702 
30 Maria Eduarda Alves Nunes - Turma 801
31 Flávia Vanessa Figueira Flores - Turma 801 
32 Caroline Menezes da Silva - Turma 801 
33 Izabella Ferreira da Silva - Turma 801 
34 Isadora Pacheco Ribeiro - Turma 801 
35 Thamirys Di Giorgio Villas Boas da Silva - Turma 801 
36 Rebeca Aurea da Silva Faria - Turma 801 
37 Ana Carolina Bastos do Patrocínio - Turma 902


Estiveram presentes também no festivo encontro de encerramento do Projeto:

Marcius Clayton Pinheiro Vieira - Diretor da Unidade
Adriana Soares - Coordenadora de alunos
Olga de Jesus Simões - Agente Pessoal
Glória Maria T. Guimarães -Psicóloga
Catia Maria P. da Silva - Profª português
Marta de M. Miranda - Profª português
Sergio José da Silva - AAGE 
Raquel Miriam -NTE – Representante da SEEDUC/ Baixadas Litorâneas
Maria Cristina Magalhães - Coordenadora Pedagógica

Patenteamos, nesta oportunidade, nossa alegria por participar deste Projeto vitorioso e parabenizamos a Profª Andrea Cabral pelo brilhantismo com que desenvolveu todas as atividades e dinâmicas; a competência com a qual manteve as alunas integrantes do Grupo de Interesse unidas e motivadas. 

Desejamos que novos Projetos surjam para o crescimento da Escola Estadual Profª Cacilda Silva. 

Parabéns a todos.

Vejam mais fotos do Projeto na página do Ponto de Cultura Percursos Culturais, Clique aqui

Conheça a página do Projeto Juventude Afetiva clique aqui

Assim foi a 3ª Mostra Cultural de São José de Imbassaí - Maricá/RJ




Com um Projeto pensado para promover o congraçamento entre os artistas, os artesãos e a comunidade; oferecer um canal de comercialização para todos; inteiramente gratuito e realizado por Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes, em parceria com a pousada Vovó Bellina, aconteceu no último dia 26/09, das 10h às 22h, a 3ª Mostra Cultural de São José do Imbassaí, em Maricá/RJ.

Artesãos e artistas das mais variadas expressões estiveram presentes e um público formado por adultos, adolescentes e crianças participou das oficinas oferecidas ao longo do dia. 

À noite, com a especial apresentação do Coral Maricanto aconteceu também o Sarau Poético – com diversas e surpreendentes recitações, inclusive, de integrantes do Coral, que participaram animadamente e enriqueceram o evento.

Canteiros de Obras agradece às artistas/artesãs que numa Ação Voluntária ofereceram excelentes oficinas: Meg Carvalho (Espaço Cultural Meg Carvalho) e Márcia Castro (Kriando Koisas); à Profª Vera Lucia M. Rocha, que contou histórias para grandes e pequenos e ao Coral Maricanto, em nome de seu Maestro Eduardo Lannes.

Para fechar a noite, o parceiro André Dantas, proprietário da Pousada Vovó Bellina Ofereceu a todos os presentes um delicioso Caldo Verde.

A 3ª Mostra deixa expressiva bagagem para todos quantos participaram, além das importantes trocas de experiências, que aconteceram durante todo o sábado.

Clique aqui para ver as fotos do evento.

3ª Mostra Cultural de São José de Imbassaí,



A Mostra Cultural de São José de Imbassaí é um projeto de Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes, em parceria com a Pousada Vovó Bellina.

Realizaremos este ano a 3ª Mostra Cultural de São José de Imbassaí, no dia 26 de setembro de 2015. 

Vem ouvir, falar poesia conosco, fazer oficinas, expor sua arte e celebrar a vida com o Coral Maricanto!

Aguardamos vocês lá!

Vejam a programação que preparamos pra vocês:

10h às 17h - Mostra de Artesanato e Artes Plásticas

10h às 11h - Oficina Básica de Pintura para Crianças (a partir dos 6 anos), com a artista plástica Meg Carvalho

11h às 12h - Contação de Histórias para crianças com a professora

Vera Lúcia Moura Rocha 

14h às 16h - Oficina Básica de Pintura para Crianças (a partir dos 6 anos), com a artista plástica Meg Carvalho

16h às 17h - Oficina de Cartonagem para crianças e jovens (a partir do

6 anos), com a artista plástica e artesã Márcia Castro. 

18h às 22h - Apresentação do Coral Maricanto 

Sarau Poético: Maria Regina Moura, Patrícia Custódio e convidados

OBS Todas as oficinas com vagas limitadas. Imprescindível fazer inscrição até 20/09/2015 na Pousada Vovó Bellina ou pelo e-mail: canteirosdeobras@yahoo.com.br

Artistas Plásticos e Artesãos, inscrições para exporem na Mostra pelo e-mail canteirosdeobras@yahoo.com.br até 24 de setembro. Temos poucas vagas. Vagas Limitadas!

Local: Salão de festas da Pousada Vovó Bellina

Rua Marajó, 460 - Marine - São José do Imbassaí - Km 22 - Maricá/RJ

Informações: 2636-0012 (Canteiros de Obras)

2634-8624 (Pousada Vovó Bellina)

http://www.canteirosdeobrascentrodeculturaeartes.blogspot.com

Clique aqui para saber como foi a 1ª Mostra Cultural de São José de Imbassaí

Clique aqui para saber como foi a 2ª Mostra Cultural de São José de Imbassaí


Marejada Cultural no MAI resgata tradições de pescadores em Niterói (RJ)


O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), que fica em Niterói (RJ), promove neste fim de semana (dias 27 e 28), a 1ª Marejada Cultural dos Pescadores Tradicionais de Itaipu.

Na programação, exposição de documentários e fotografias que mostram atividades da pesca e a vida dos moradores da Vila de Pescadores Tradicionais de Itaipu, uma Roda de Conversa sobre a história da pesca sob a ótica dos pescadores artesanais da região, shows musicais e um festival gastronômico de frutos do mar.

Museu de Arqueologia de Itaipu: apoio à identidade cultural local

A última marejada aconteceu há quase duas décadas e o evento visa resgatar as tradições dos fundadores da aldeia que deu origem ao bairro, além de incentivar a proteção dos recursos naturais e sua conservação potencializando o desenvolvimento ecológico, aspectos históricos e socioculturais da Região de Itaipu.

Na Praça de Itaipu, em frente ao museu, haverá barracas onde serão vendidos pratos da culinária típica da região, produzidos por moradores.

Para a diretora do MAI, Eunice Batista Laroque, a Marejada pode ajudar no resgate da identidade cultural da atividade pesqueira em Itaipu e contribuir para reforçar a principal atividade econômica do local. “O Museu tem o dever de reforçar a memória das comunidades de pesca artesanal” declarou.

A Marejada Cultural é organizada pela Associação Livre dos Pescadores e Amigos da Praia de Itaipu (Alpapi), com o apoio do Museu de Arqueologia de Itaipu, do Núcleo de Solidariedade da UFRJ, da Prefeitura de Niterói, da Universidade Federal Fluminense e do Sindipetro RJ.

O museu
O Museu de Arqueologia de Itaipu está sediado nos remanescentes do Recolhimento de Santa Teresa, instituição fundada no começo do século XVIII.

Seu acervo é composto por artefatos produzidos pelos povos que viveram no litoral fluminense antes de 1500. São artefatos líticos e ósseos, concreções, matéria corante, ocre, restos ósseos humanos e remanescentes de fauna (aves, peixes e mamíferos), além de blocos testemunhos do Sambaqui de Camboinhas.

Texto: Ivy Fermon (Ascom/Ibram)
Foto: Banco de Imagens Ibram

Ministério da Cultura conclui pesquisa nacional que pode mudar modelo de educação no país


Artigo sugerido pela leitora Flávia Domingues, inicialmente publicado no Canal de Ensino.
Fonte: no final do texto

Uma pesquisa-ação inédita realizada pelo Ministério da Cultura (MinC) e pela organização social Casa da Arte de Educar apontou que professores brasileiros têm muita dificuldade no diálogo com demais instituições educativas – como museus e bibliotecas – e muitas vezes entendem cultura como sinônimo de “cultura letrada” aquela explicitada somente nos livros. O levantamento também revelou que escolas e demais equipamentos culturais precisam de apoio técnico e financeiro para se tornarem um sistema de educação ampliado como discute e planeja o Ministério.


O MinC realizou encontros em todas as regiões brasileiras no ano passado diversos, chamados de pesquisa-ação, que fazem parte do projeto nacional Um Plano Articulado para Cultura e Educação, que prevê a elaboração de uma nova política pública que faça da escola um grande espaço de produção e circulação da cultura brasileira, com acesso aos bens culturais e respeito à diversidade.

“As escutas revelaram que são muitas as iniciativas de parcerias entre escolas e equipamentos culturais no país, no entanto, estas iniciativas são instáveis e necessitam de investimentos técnicos e financeiros para se efetivarem como parceiros reais para as escolas. É preciso investir em canais constantes entre educação e cultura”, destaca Sueli de Lima, pesquisadora da Faculdade de Educação da USP e coordenadora da pesquisa.

Os encontros reuniram, além de professores, representantes de museus, bibliotecas, pontos de cultura, educadores, estudantes, artistas e lideranças comunitárias para debater as dificuldades e apresentar propostas de articulação entre Cultura e Educação. No total foram ouvidos 1.664 atores, em 165 municípios e 26 estados.

O “Plano Articulado para Cultura e Educação” é uma das iniciativas previstas no Acordo de Cooperação Técnica assinado entre o MinC e o MEC, em dezembro de 2011. Este acordo apresenta um orçamento total estimado em R$ 80 milhões para a realização de diversas ações entre as duas pastas.

Resultados da pesquisa

A pesquisa-ação abrangeu 165 municípios, 26 estados brasileiros e ouviu 1.664 atores com o objetivo de investigar as condições das práticas educativas realizadas por escolas e demais agentes educativos (como museus, ongs bibliotecas etc) visando estruturar princípios orientadores para as políticas da cultura voltadas para a educação.

“O que é preciso deixar claro que com esta pesquisa não serão apenas leis que poderão alterar as relações entre escolas, cultura e demais práticas educacionais. Só uma construção coletiva, dentro e no entorno da escola, amparada por uma legislação democrática, poderá implementar mudanças necessárias”, conclui Sueli.

Algumas conclusões

- A pesquisa-ação apontou que os professores têm demonstrado muita dificuldade no diálogo com saberes não instituídos, os chamados saberes do cotidiano, e muitas vezes entendem cultura como sinônimo de cultura letrada e que se aprende na escola.

- A pesquisa revela a necessidade de investimento para a conquista de práticas pedagógicas e de gestão democrática nas escolas. Sem condições de diálogo e participação não será possível a conquista da intersetorialidade entre as políticas de cultura e educação.

- O levantamento apontou a necessidade de investir em uma maior aproximação dos cursos de pedagogia e das licenciaturas com os estudos culturais, com a sociologia e a antropologia visando fortalecer a dimensão cultural das práticas educativas. Entre os pesquisados a mediação cultural é prática ainda distante das licenciaturas e podem auxiliar muito o trabalho de sala de aula.

- A pesquisa aponta que os equipamentos culturais também precisam conquistar e efetivar a dimensão educativa de suas práticas. Bibliotecas com espaços exclusivamente de consultas ou museus voltados somente para contemplação já não possuem mais lugar na sociedade de hoje. Vale destacar que os professores reclamam por identificação e mapeamento das iniciativas e equipamentos culturais no Brasil, assim como maior diálogo entre as práticas culturais e as universidades.

Consulta pública

A íntegra da pesquisa pode ser consultada no site da Casa da Arte de Educar, no linkhttp://www.artedeeducar.org.br/wp-content

Comentários Recentes

Visitantes Recentes

Copyright©2011 by Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes - Todos os direitos reservados - Design by: Patrícia Custódio - Canteiros de Obras utiliza:Blogger

  © Canteiros de Obras - Centro de Cultura e Artes - Todos os direitos reservados

Back to TOP